Dicionário do ocultismo

classic Classic list List threaded Threaded
1 message Options
Reply | Threaded
Open this post in threaded view
|

Dicionário do ocultismo

Mónica
Astrologia:
 
Oráculo é uma resposta dada por um deus ou espírito a uma questão que lhe é colocada. A resposta de um oráculo traduz-se em revelações sobre o que vai suceder de forma a que um fim seja atingido, e a essas dá-se o nome de profecia. De acordo com as tradições babilónicas, a astrologia é um processo de astromancia, ou seja: uma forma de ler nos corpos celestes a manifestação de entidades espirituais ou forças celestes.Existem muitos tratados de Astrologia, sendo que contudo na pratica de bruxaria e magia negra, o tratado de São Cipriano sobre Magia Negra é dos mais respeitados. Actualmente, em cetos meios ocultistas,  as tabelas astrológicas de S.Oviedo são das mais comummente utilizadas na pratica astrológica quanto á determinação do Signo Solar e Signo ascendente.
Amarração:
processo místico por via do qual se lança uma maldição para a vida de uma pessoa, de forma a uni-la a outra. Numa amarração, espíritos de mortos ou espíritos terrenais são convidados a entrar na pessoa amarrada, alterando-lhe o rumo da sua vida através de uma série de eventos que unirão o caminho de vida dela com a pessoa que encomendou a maldição de amarração. A amarração, ou une as vidas das duas pessoas previstas pelos encantamentos invocatórios, ou amaldiçoa a vida da pessoa amarrada de forma a que ela jamais seja feliz ao lado de outrem. Desta forma, unem-se para sempre os caminhos de vida das pessoas amarradas.

Livros sibilinos
Diz-se que os livros Sibilinos, (9 livros proféticos escritos pela Sibila de Cuma), contem revelações espantosas, (inclusive sobre o nascimento de Jesus quase 5 séculos antes deste ocorrer), e que, estando religiosamente guardados no Templo de júpiter, eram consultados pelos monarcas em ocasiões especiais que assim o exigissem.Diz a Historia que os 9 livros foram destruídos, ( 6 deles pela própria Sibila de Cuma, e os restantes 3 no Sec V d.C.), e contudo alguns místicos alegam possuir o saber profético inscrito nesses livros.
 
 
Sibilas
Embora nas religiões Abraamicas o profeta seja uma pessoa que fala com Deus e através de qual deus fala á sua criação, a noção de «profeta» não é um exclusivo das culturas hebraicas, e é alias  bem mais antiga e vasta que a acepção das teologias monoteístas.Os profetas já existiam nas religiões Helénico -Românicas, nos Oráculos Délficos, nos templos da Grécia Antiga, na religião Persa,  as Sibilas, etc.As sibilas existiram em diversas culturas: persa, libanesa, hebraica, délfica, etrusca, etc.As sibilas era mulheres que na antiguidades prediziam o futuro por meio de oráculos.Um oráculo é uma resposta dada por uma divindade a quem a consulta.As sibilas consultavam divindades, ( espíritos), recebendo deles mensagens sobre o passado, presente e futuro, e eram por isso profetisas.Na Pérsia existiu uma profetisa chamada Sibilina Babilónica, e ela profetizou os feitos de Alexandre O Grande.Na Líbia, havia uma Sibila de Amon, que num templo de Amon, ( Zeus), que aconselhou Alexandre O Grande aquando da sua conquista do Egipto.No templo de Apolo, em Delfos, também existia uma Sibila de grande poder, procurada por pessoas de todo o mundo.Em Roma, existiu também uma Sibila Etrusca, que foi consultada por César. Existiu também um Livro Sibilino, um conjunto de oráculos provindos da Sibila de Cumas,  compilado pelo Rei Tarquinio 534 a.C. - 509 a.CA sibila de Cumas era natural da jónia, ( Turquia), e o seu dom profético revelou-se desde o seu nascimento. A sibila de Cumas profetizava as suas revelações em versos.

Quindecemviri.

Guardiões dos livros Sibilinos, que são uma colecção das profecias sibilas, profetizas na lenda e literatura gregas. Os quinze homens indicados pelo ditador romano Sulla (138a.C.-78 a C.) eram os únicos que podiam ler os manuscritos nos quais estavam descritos os destinos da humanidade.


Ocultismo (ou ciência oculta):
Crença na existência de realidades ocultas e sobrenaturais, assim de métodos susceptíveis de conhecer e manipular tais realidades. As artes e ciências ocultas mais nobres, são: magia, adivinhação, astrologia, espiritismo. O ocultismo é constituído por um vasto corpo de conhecimentos esotéricos, que estão para alem da esfera do que é visível, ( do nosso mundo físico empiricamente cognoscível), e que procuram desvendar os segredos do mundo espiritual ou invisível.
 
Tarot
 
Processo místico que visa produzir oráculos, ( ver: «Oráculos»), usando para essa finalidade um conjunto de 22 laminas ou cartas, ( arcanos maiores), com simbologias esotéricas e místicas representativas de forças e influencias espirituais que actuam no nosso mundo e nas nossas vidas. O lançamento cartas como forma de oráculo, encontra correspondência nas próprias tradições místicas hebraicas descritas no Antigo Testamento, (Bíblia), onde são citados por diversas vezes os «lançamentos de sortes» como forma de comunicação com Deus.  

Misticismo:
crença na possibilidade de comunicação com o divino, com o mundo espiritual, ou com uma divindade. O misticismo concede prioridade a um tipo de conhecimento ocultista e esotérico, que garante revelações inacessíveis ao conhecimento racional sobre o mundo invisível, espiritual ou sobrenatural

Magia:
Etimologicamente advêm da palavra grega «Mageía», que significa «religião dos magos»; Religião mística e esotérica que professa a crença em espíritos e forças sobrenaturais , assim como a possibilidade de contacto com essas entidades ou poderes; Saber secreto, constituído por um conjunto de conhecimentos, ritos e formulas ocultistas que se destinam a agir sobre o mundo natural, produzindo nele resultados contrários ás suas leis. A mais conhecida, forte e temida forma de magia, é a magia negra, por via da qual de apela a intervenção de demónios ou espíritos terrenais para causar a produção de certos eventos neste mundo.

Magismo:
sistema e religião dos magos

Magos:
Antigo sacerdote religioso,  na Pérsia; praticante de magia.

Esoterismo:
Doutrina espiritual ocultista e secreta, apenas transmitida aos iniciados ou discípulos de um culto religioso.

Gnosticismo:
Doutrina crista nascida entre os Sec I e III d.C. que defende a evolução espiritual através da sabedoria ou a «gnose». A «gnose» é constituída por um saber secreto á luz do qual é possível extrair das escrituras verdades ocultas reveladoras sobre o divino e a divindade. A doutrina gnóstica, constitui a vertente mística do Cristianismo.

Kabalah:
ciência esotérica hebraica, constituída por um conjunto de métodos e conhecimentos por via dos quais é possível extrair dos textos sagrados mensagens ou saberes que neles se encontram ocultamente encerrados e apenas acessíveis aos iniciados que detêm esta ciência esotérica. A doutrina Kabalística, constitui a vertente mística do Judaísmo.

Teologia:
estudo filosófico do divino, baseado na analise das sagradas escrituras, ou dos saberes religiosos de um certo sistema.

Teosofia:
doutrina que professa não apenas o conhecimento filosófico e teórico de um determinado sistema de crenças religiosas, como vai mais longe e pretende obter formulas  resultantes da aplicação pratica das regras espirituais do mundo divino ao mundo terreno, de forma a se produzirem certos fins. A vertente teosófica mais conceituada do judaísmo é a «Kabalah», assim como a vertente teosófica mais conhecida do cristianismo é o «Gnosticismo»

Bruxaria:
efeito ou facto que não se consegue explicar pela racionalidade nem pela lógica do mundo natural;Acontecimento atribuído á acção sobrenatural resultante de um bruxedo; acto de empregar bruxedos para atingir uma certa finalidade; sortilegios produzidos por um bruxo(a)

Feitiçaria:
acto de empregar feitiços para alcançar um certo fim; sortilégios advindos de feiticeiros(as)

Trabalho de Magia:
Serviço espiritual prestado a troco de um pagamento, e que consiste na produção de uma bruxaria ou de uma feitiçaria. O trabalho espiritual destina-se a causar certos efeitos no mundo natural, que de outra forma e sem a intervenção das entidades espirituais invocadas, não sucederiam. Um trabalho de magia resulta na produção de uma série de eventos e acontecimentos, que constituem oportunidades favoráveis para que quem encomendou o trabalho, ( se usufruir positiva e adequadamente dessas circunstancias favoráveis), possa alcançar os seus desejos. O trabalho de magia, destina-se por isso a oferecer oportunidades onde elas antes não existiam, a abrir as portas que antes estavam fechadas, a desbloquear caminhos aos desejos de quem o encomenda.

Bruxo:
aquele(a), que faz bruxaria, um praticante de ocultismo com intimas ligações a espíritos das trevas. Julga-se que o bruxo(a) ou nasce bruxo por via de uma maldição, ou se torna bruxo através de um pacto realizado com entidades espirituais. Acredita-se que o pacto com essas forças espirituais é geralmente confirmado por sangue e selado por um acto de relações sexuais um anjo das trevas. Acredita-se também que a alma do bruxo(a), fica por via desse pacto favorecida pelos favores dos espíritos de bruxaria, adquirindo assim um poder sobrenatural que diverge de pessoa para pessoa, poder esse a que se chama um dos «dons das trevas», que advêm do «poder das trevas». Acredita-se porem, que por esse mesmo pacto a alma do bruxo também fica condenada a metamorfosear-se num espírito de bruxaria para toda a eternidade.

Feiticeiro:
aquele(a), que conhecendo as artes esotéricas dos feitiços, os realiza. Um feiticeiro(a) é apenas uma pessoa possuidora de conhecimentos esotéricos e místicos, não tem de ser um bruxo(a), pois não tem que possuir um pacto com entidades espirituais.

Sortilégio:
feitiço ou bruxaria realizados através de encantamento para influir num determinado assunto, com a intenção de propiciar um determinado fim ou objectivo.

Malefício:
processo de maleficiar alguém, (causar-lhe mal), através de um sortilégio

Encantamento:
processo místico apelatório ou invocatório de forças espirituais

Maldição:
acto ou efeito de amaldiçoar alguém ou algo através de forte imprecação, desfavorecendo o objecto da maldição na sua existência ou fins. Normalmente a Maldição, ao contrario da praga, esta associada a um processo místico consciente e voluntário , realizado para causar mal.

Bênção:
acto ou efeito de abençoar alguém ou algo, através de forte imprecação, favorecendo o objecto da bênção na sua existência ou nos seus fins.

Imprecação:
Acto de pedir algo com forte veemência, contra ou a favor de alguém.

Praga:
acto de imprecar um mal a alguém. Normalmente a praga, ao contrario da maldição, esta associada não a um processo metodológico e intencional, mas antes a um acto de involuntário de desejar mal, que acaba resultando num mal.

 

Profecia:
acto de predizer o futuro através de inspiração divina ou espiritual. A magia hebraica é um processo místico assente na metodologia profética, ou seja, apela-se ao divino para interferir no mundo terreno, sendo que o espírito actuará no profeta dizendo pela sua boca aquilo que irá fazer acontecer, em virtude do pedido que lhe foi feito.

Oráculo:
acto de predizer o futuro através da inspiração de um deus ou deusa.

Mau olhado ou quebrantar:
acto involuntário gerador de quebranto numa pessoa visada por outra com forte sentimento negativo ou de inveja; o quebranto gera debilidade, fraqueza, falta de forças, desanimo, desalento, tristeza. Como consequência, interrompe planos, cria obstáculos e vence a pessoa em todos os níveis, dominando-a pela negativismo e adversidade.

Quebranto:
efeito do mau olhado ou do acto de quebrantar.

Enguiço:
conjunto de empecilhos, infortúnios, revezes, contratempos, que desarranjam a vida de uma pessoa, família ou instituição, causando transtornos sucessivos, bloqueando caminhos e fechando portas. Enquanto que o quebranto é normalmente resultado de um mal involuntariamente transmitido por uma pessoas invejosa, ressentida ou mal-intencionada, o enguiço normalmente resulta de um malefício produzido com recurso a sortilégios de bruxaria ou feitiçaria. O Enguiço tende a fazer permanecer na vida da vítima um forte «mau agouro»

Infestação:
 
Infestação sucede quando forças espirituais muito negativas foram lançadas,  através de uma maldição, contra uma pessoa ou algum local, como uma casa, um lar, etc. A infestação toma conta de uma pessoa ou de um local. Quando infestada por espíritos negativos, a própria pessoa infestada, ( ou que esta em contacto com um local que foi infestado), começa a actuar de forma contrária aos seus interesses, gerando-se assim  caos e ruina a todos os níveis da sua própria vida. Conjuntamente, tudo o que é mau tende a aproximar-se da pessoa, como a própria pessoa atraísse irresistivelmente tudo o que é negativo para junto de si. Quando uma infestação se entranha fortemente numa pessoa,  eventos negativos começam inesperadamente a ocorrer e sucedem-se vez apos vez, sem parar. Passado um certo tempo, a pessoa nem se apercebe de como caiu num rumo de tamanha desgraça.

Mau Agouro:
sucessiva, ininterrupta e devastadora má sorte que acompanha uma pessoa, família ou instituição.

Agouro:
sinais que fazem pressagiar ou prever o sucesso ou insucesso de alguém ou alguma coisa.
 
Sexo:
 
Na bruxaria, é a forma pela qual se firma um pacto com demónios. Ao mesmo tempo, a sexualidade é usada nas missas negras como forma pela qual os demónios obtêm satisfação nos pecados mortais da luxúria e do adultério, atraves das bruxas e bruxos. Diversos sistemas mágicos, como o de Aleister Crowley, advogavam a pratica de magia sexual como uma das mais poderosas formas de contacto com esferas e poderes espirituais.  

 Necromancia·
Trata-se da comunicação e utilização dos mortos para determinados fins. Vários sistemas religiosos ou mágicos a utilizam, com destaque para: Bruxaria, Espiritismo, Candomblé, Umbanda e Voodoo.
 
Libação

Acto de partilhar e oferendar bebidas num ritual a Deus, Deuses ou espiritos.

Oblação

Acto de realizar oferendas num ritual a Deus, Deuses ou espiritos.

Incenso.

Simboliza o sopro da vida e é um importante elemento em qualquer ritual mágico
 
Sal

Na magia, o sal é usado para repelir os demónios, pois todos eles detestam o sal. Sagrado para  Deus, o sal mantém os demónios afastados
 
Sal negro
 
Possui um enorme poder catalizador em bruxarias, tendo o significado inverso do sal branco que é purificador e libertador. O sal negro atrai demónios, e é usado em poderosas maldições.
 
Sangue.

Desde tempos imemoriais o sangue é visto como um agente vital e figura em rituais de sacrifício. Nos tempos paleolíticos, figurava proeminentemente nos sacrifícios. O corpo do morto era colocado em covas contendo pedras vermelhas, cujo o intuito era prover o morto com um substituto para o agente vitalizador. Os gregos, por sua vez, despejavam sangue nos túmulos para reviver o espírito dos mortos. Em certas religiões, como o mitraísimo o baptismo de sangue era usado para purificar tanto o corpo como a alma. Na Biblia está escrito que «o sangue é a vida», e na verdade, os mitos vampíricos estão, quando referindo-se á questão do sangue, fazendo na realidade uma alusão a essa força vital que se extrai de um ser, e que pode ser fonte de alimento, de força espiritual e de vida.Por isso mesmo os Inccubus e Succubus acabam realizando exactamente o mesmo que os vampiros - alimentarem-se de um ser humano- sem que contudo estes últimos retirem sangue ás suas vitimas, pois na verdade estamos falando, não do liquido em si, mas sim de uma certa energia vital que, dizem os textos sagrados, está latente nesse liquido. Os demónios, diz-se, adoram sangue.

Sabath.

Reunião periódica de bruxas, magos ou necromantes em florestas escuras, cavernas escondidas, ruínas abandonadas ou locais santificados. Na Europa os iniciados celebram a sua devoção aos demónios dançando na escuridão, invocando o Diabo, sacrificando animais e participando de orgias sexuais.
 
Oráculo.

O acto de um(a) Deus(a) comunicar com o ser humano por meio de um profeta ou vidente; O altar de um deus no qual perguntas são feitas; O mais famoso dos oráculos foi o de Delfos, mas o de Dodona, Epidauros e Trofônio também foram muito conhecidos na Grécia antiga. Talvez o mais antigo tenha sido o de Esculápio, filho de Apolo, chamado de Curador, porque tratava doentes através de sonhos que surgiam enquanto o devoto dormia no templo. Esse templo ficava em Epidauros. O oráculo de Delfos, situado em Parnassus, era um templo dedicado a Apolo.Todos que visitavam o templo deviam levar uma oferenda. Logo o local ficou cheio de tesouros e presentes dos gregos e dos estrangeiros, o que despertou a cobiça dos coleccionadores de ouro e preciosidades.
Grimório.

Manual de magia, geralmente atribuído a autores desconhecidos, ou a grandes personagens (como o rei Salomão), ou certos papas (como Alberto, o Grande). Eram muito populares durante a Idade Média. Entre os mais notáveis desses “Livros Negros”, como eram também conhecidos, estão Liber Spirituum (“O Livro dos Espiritos”);

Malleus Maleficarum
O Malleus Maleficarum foi criado em 1486 por H. Kramer e Jacob Sprenger, ambos membros da Ordem Dominicana e Inquisidores da Igreja Católica.A obra acabou sendo sancionada como um instrumento de inquisitório contra bruxarias e heresias, através da bula papal Summis desiderantes affectibus promulgada a 5 Dezembro 1486 pelo Papa Inocêncio VIII.Foi através desta histórica bula papal, que a igreja reconhece a existência das bruxas e da bruxaria, assim como concedeu autorização para que os praticantes de bruxaria fossem perseguidos e eliminados. E assim, inaugurou-se a sangrenta caça ás bruxas que durou séculos e foi responsável por um autêntico genocídio de mulheres e homens em todas as latitudes do continente Europeu, chegando mesmo a afectar os inícios da história norte Americana. No «Malleus Maleficarum», defende-se a existência do Diabo e toda a realidade demoníaca, afirmando que o demónio tem o poder de fazer grandiosos prodígios, assim como declarando que as bruxas existem para auxiliar os demónios a concretizarem os seus actos. No Malleus Maleficarum,  é também esclarecido que terreno mais fértil e o mais poderoso favorecedor do poder do diabo é a sexualidade. Por isso, é afirmado que a mulher é mais passível de ser bruxa, pois o diabo tende a preferir corromper belas mulheres que gostam da ardência do prazer sexual. O vício sexual de belas mulheres é por isso a porta preferida do diabo para entrar neste mundo e recrutar as suas servas, ou seja: as bruxas. Assim, mulheres livres e libertinas tinham relações sexuais com o diabo, pagando dessa forma como seu corpo a entrada no reino infernal e tornando-se dessa forma bruxas, adquirindo o seu poder sobrenatural por via da carnalidade, comprando-o com uma forma de prostituição demoníaca. Citando o Malleus Maleficarum, assim está escrito: «toda a bruxaria nasce da luxúria carnal, que nas mulheres [ libertinas e viciadas no prazer sexual ]  é insaciável».

Ritual Romano

O Ritual Romano , constitui uma Lei Canónica,  debruça-se sobre demónios e o mundo demoníaco, assim como estabelece as regras e procedimentos a ter em conta em casos de exorcismo. O Ritual Romano foi elaborado em 1614 , sob a autoridade do Papa Paulo V.A mesma Lei Canónica foi revista e reformada em 1999 sob a autoridade do Papa João Paulo II.
Missa negra
Processo litúrgico por via do qual se invocam espíritos terrenais e demónios. Usam-se para tais fins a oração de conjuração  entidades terrenais , a carnalidade, a acção mística, a submissão carnal aos demónios.
Missa branca
Processo litúrgico por via do qual se invoca o espírito de Deus, ou dos seus anjos. Usam-se para tal finalidade a oração de conjuração de entidades celestiais, a abstinência, a contemplação, a elevação espiritual.
Magia branca:
Processo espiritual por via do qual se invocam entidades e forças espirituais celestiais e se entra em contacto directo com as mesmas, para as levar a actuar neste mundo, tendo em vista determinado fim, que pode ser bom ou mau.
Magia negra:
Processo espiritual por via do qual se invocam entidades e forças espirituais das trevas, e assim se entra em contacto directo com as mesmas, para as levar a actuar neste mundo, tendo em conta a persecução de um determinado fim, que pode ser bom ou mau.
Demonomancia:

termo etimologicamente advindo do grego daimon + manteia - Trata-se do conhecimento do futuro pela inspiração dos demônios. Oposto ao dom profético descrito nas Sagradas Escrituras,( inspiradas que são em Deus e nos seus espíritos, a visoes do futuro obtidas pelos profetas de Deus), foi no entanto em certos períodos históricos e por certos teólogos, considerada a verdadeira fonte de toda as artes divinatórias que não se enquadrassem nas formas de consulta a Deus e os Seus Oráculos. Tratam-se por isso de Oráculos igualmente poderosos, contudo cuja a fonte reside nos espíritos dos mortos, ou nos espiritos das trevas. O grau de fiabilidade e de verdade é por isso igualmente infalível, contudo a diferença reside na fonte da inspiração profética.
Pacto:

Um pacto geralmente implica certos benefícios previamente acordados em troca da venda da alma ao Diabo pela parte de quem procurou o pacto. Afirma-se que Satanás tem muitos poderes, entre os quais o de se manifestar com forma humana ou animal. A relação do Diabo com quem procura um pacto, ( uma possessão voluntária), tem sido registada como puramente fisica e particularmente sexual. Na maior parte da história da Cristandade existem relatos de Satanás tendo sexo com humanos, quer como incubus (demonio macho) ou sucubus (demonio fêmea).

Bruxas e feiticeiros:

Regra geral, bruxas e feiticeiros foram considerados, ora frutos das uniões entre humanos e demonios, ora gerados através de pactos com demónios. Eram por isso tidos como seres especialmente perniciosos e viciosos, porque, ou herdaram alguns dos poderes do diabo, ou conquistaram a capacidade de contactar com as esferas demoníacas e beneficiar do seu poder.
Miriam, A Judia.

Uma das mais famosas bruxas dos tempos antigos. Irmã de Moisés, dizia-se que fora instruída pelo próprio Deus. Muitos trabalhos importantes de alquimia são atribuídos a ela. Também conhecida pelo nome de Maria. Por isso, quem diz que a Magia não existe, então não frequente a Igreja, pois os próprios textos sagrados assim a descrevem e comprovam.

Sonho.

Para os antigos , especialmente os gregos, o sonho era uma ligação entre o mundo espiritual e o mundo físico, ou seja, uma forma pela qual o ser humano podeia receber mensagens de espíritos ou divindades. Em certos templos, era comum um devoto ali pernoitar, de forma a que a divindade comunicasse consigo através de sonhos. Na literatura bíblica, os sonhos eram o mesmo que prognósticos, assumindo um papel importantíssimo como forma de comunicação com o mundo espiritual e com Deus. Nos textos Biblicos, os sonhos são denominados «visoes nocturnas», que se bem que semelhantes aos sonhos normais, são na verdade revelações enviadas por Deus ou pelos Seus Anjos. Para Xenofonte, ler os sonhos era uma forma de adivinhação.
Íncubus.
Demónio masculino que surge para atrair sexualmente as mulheres, alimentando-se dessa forma da alma das suas vitimas. Sua contraparte feminina são os Súcubus . Para a doutrina crista medieval, os Incubos são anjos cujo interesse sexual conduziu-os à sua queda, sendo que a descrição da sua queda original se encontra inscrita no livro de Génesis, assim como no apócrifo Livro de Enoch.
Súcubus.

Espírito do mal que toma a forma de mulher com o propósito de Ter relações sexuais com um homem. A sua versão masculina denomina-se Incubus. O objectivo dos Sucubus, ( e Incubus), ao se unirem carnalmente com um humano, é na realidade sugar-lhe a energia vital, pois estas entidade alimentam-se dela.Os ataques destas entidades ocorrem á noite. A vitima dos ataques raramente se lembra dos mesmos,(ou tem uma vaga memoria, muito esfumada, como se o ataque lhe parecesse um sonho), e acorda com uma grande sensação de fraqueza para a qual nao ha explicação.Se os ataques foram repetidos, a pessoa começa a ficar palida, geralmente com problemas sanguineos ou pulmonares e perde as forças animicas. vai inexplicavelmente perdendo as suas forças e energias, acabando por ficar de tal forma fraco e fragil que pode mesmo morrer. Muitas das lendas sobre vampiros tem na realidade origem neste tipo de entidade.


Rainha do Sabath.

Ainda que a maioria dos sabbat  tenha sido presidida por homens, no século XVII os feiticeiros bascos eram dirigidos por uma rainha, que era a própria noiva do Diabo.

Rainha dos Elfos.

 Nalguns dos julgamentos escoceses de bruxas, a Rainha dos Elfos era mencionada como uma divindade presente no sabath. Dizia-se que tinha relações com os bruxos.

Nahemah.

Nome da princesa dos súcubus, os demônios femininos.
Lilith
Afirmam as mitologias hebraicas, que Lilith é um demónio feminino, e que originalmente foi a primeira mulher criada por Deus e a primeira mulher de Adão. Recusando-se a viver eternamente em obediência cega para com Deus e vassalagem submissa ao seu marido Adao, , fugiu do paraíso em busca de liberdade, tendo ido habitar no mar vermelho onde se prostituiu com diversos demónios, sendo a primeira bruxa da Historia e mãe dos demónios sucubus. Tornou-se depois consorte de Lucifer e ausa esposa preferida. È rainha dos demónios sucubus, senhora da casa imperial de Lucifer nos infernos, e uma das suas 5 esposas.
Metafísica

Conjunto de reflexões que visam equacionar uma explicação racional da realidade. A metafísica parte de constatações obtidas através da experiência, mas depois ultrapassam essa esfera empírica para tentar alcançar o conhecimento sobre realidades que a transcendem.

Ménade

Antiga sacerdotiza de Baco.
 
Caminha da Esquerda
O «caminho da direita» professa a resignação perante o infortúnio, alegando que a dor, a perda e o tormento são provas ou lições que um certo Deus põem no nosso caminho para nos fazer evoluir. Por isso, o «caminho da direita» diz-nos: «aceitai a dor. Ela é uma bênção. Não vos preocupeis com o tormento que viveis neste mundo, pois tudo o que é da carne é pecado. Aceitai mansamente o vosso destino, porque depois de morrer sereis recompensados.» Este é assim o caminho doutrinário apregoado pelo Cristianismo; ao contrario, o caminho da Bruxaria é o  «caminho da esquerda» , que por sua vez alega «não vos resigneis perante a dor. A dor não é uma bênção, é apenas o que é: dor. Podeis alterar o rumo dos eventos, pois o sofrimento não constitui uma lição, nem uma prova, nem é o objectivo de virmos a este mundo. Este mundo não é uma passagem passiva de sofrimento sobre sofrimento, mas antes uma viagem activa em busca da sabedoria.
A felicidade e a realização são as metas de uma alma, e o mundo espiritual pode ajudar a encontrar o rumo desse destino bom. A resignação cega não é o passaporte para o céu,mas antes a sabedoria é a chave para a felicidade. O que é deste mundo não é pecado, mas sim algo para ser vivido com plenitude, ambicionando a sabedoria que nos eleva.
Procurai os espíritos, ambicionai a sabedoria, vivei em busca da felicidade, pois nisso não há pecado. »